NOTÍCIAS

A RELAÇÃO DE DEPARTAMENTOS JURÍDICOS COM OS ESCRITÓRIOS

A PERSPECTIVA DOS DEPARTAMENTOS JURÍDICOS SOBRE A RELAÇÃO COM OS ESCRITÓRIOS DE ADVOCACIA

07/02/2014

Por Pedro Borges

Em janeiro fizemos uma consulta aos colegas da GEJUR sobre como melhorar a relação dos escritórios de advocacia com os departamentos jurídicos. Nesse período o FDJUR fez a mesma pergunta aos profissionais dos jurídicos das empresas para que pudéssemos trocar resumos sobre a opinião geral dos dois lados.
Proatividade
A maior reclamação por parte dos jurídicos das empresas está na falta de iniciativa por parte das bancas em buscar alternativas jurídicas para o ramo de negócios, especialmente as preventivas. Ou seja, o jurídico nem sempre pede, mas todas às vezes espera por um diagnóstico dos escritórios sobre o que pode ser feito para melhorar sua atuação.
Relatórios de Desempenho São Importantes
Por parte de muitos jurídicos das empresas falta aos escritórios de advocacia uma auto avaliação regular dos seus serviços para mostrar ao cliente, mesmo que ela tenha de ser adaptada, pois cada empresa tende a exigir parâmetros próprios. Muitos jurídicos se sentem inseguros com algumas informações recebidas dos escritórios, pois há quem informe fora do prazo e mal, com dados incorretos/desatualizados. Alguns departamentos jurídicos criam clausulas responsabilizando os escritórios a apresentar com uma qualidade mínima e dentro do prazo solicitado, sob o risco de comprometer seus honorários.
Cuidado nas Relações Mais Longas
Na busca constante dos escritórios por novos clientes, os mais antigos acabam de desgastando pela diminuição do interesse em comparação ao que havia no início da relação.
Simplicidade e Qualidade na Comunicação
Dentro dos departamentos jurídicos existe um dinamismo que obriga a tomada de decisões rápidas, e para facilitar a comunicação há quem crie manuais de procedimento administrativos que inclusive facilitam a criação de relatórios mais satisfatórios para a empresa.
Adaptação ao Negócio do Cliente
Entender o negócio do cliente é uma afirmação banalizada nestas discussões, mas a maior parte dos profissionais dos departamentos jurídicos deixa de explicitar que para muitos deles entender significa alterar o formato de documentos, relatórios e acompanhamento de processos aos utilizados na empresa.